O país repleto de espetáculos

A designer Luana Andressa Pereira foi a Portugal e se deparou com uma nação que se destaca pela conservação de seus monumentos e por construções modernas, em uma harmonia encantadora.

A Ponte Luiz I, na cidade do Porto, é uma das obras mais conhecidas de Portugal. Há mais de 120 anos em atividade, foi batizada com o nome de um dos últimos reis do país. (Foto: Sérgio Oliveira/divulgação)

“As pessoas querem sempre agradar. E conseguem”. A frase é da designer de interiores Luana Andressa Pereira, de Itapema. Foi dita diversas vezes durante a entrevista que concedeu à revista sobre sua mais recente viagem a Portugal. Seja pela prestatividade dos portugueses ou pela imponência das edificações, o país cativou a profissional. “A gastronomia também é excepcional”, complementa.

Um dos destinos que mais a satisfez foi Porto, a segunda maior cidade de Portugal. Mundialmente famosa pelo vinho homônimo, destaca-se também por obras arquitetônicas diferenciadas. Uma delas é a Ponte Luiz I, erguida entre 1881 e 1888. A estrutura conecta Porto e Vila Nova de Gaia, que são separadas pelo rio Douro, e foi projetada pelo engenheiro belga Théophile Seyrig, cujo sócio era Gustave Eiffel – criador da Torre Eiffel, símbolo máximo de Paris. Ao todo são 385 metros de comprimento e 45 de altura, em uma grandiosidade que lhe rendeu o status de Patrimônio Nacional em 1982.

Por falar em patrimônio, o centro histórico de Porto tornou-se, 20 anos atrás, Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. E não é para menos; em uma área de 90 hectares, há um conjunto de aproximadamente 3 mil prédios de habitação e comércio com alto grau de preservação. Dessa maneira, existem exemplares de estilos como românico, gótico, maneirismo, barroco e neoclássico, que ajudam a contar a história de uma cidade fundada há quase nove séculos.

Cuidado constante

Regiões mais contemporâneas do município também são alvo das iniciativas de preservação. A localidade conhecida como Baixa do Porto, por exemplo, passou por um processo de revitalização conduzido pela Porto Vivo SRU, uma empresa de capital público. Criada em 2004, tem promovido a re-habitação ao qualificar os espaços públicos, revitalizando o comércio, a cultura e o lazer. Parte das melhorias a designer Luana pôde conferir de perto ao visitar a rua de Santa Catarina. Com quase 1,5 mil metros de extensão, abriga centenas de lojas, bares, livrarias, hotéis e cafés. O mais famoso deles é o Majestic Café, frequentado há décadas por diversas personalidades, entre artistas, escritores e chefes de estado. “Não pude deixar de entrar e experimentar seu conhecidíssimo café”, lembra Luana.

Outro “compromisso obrigatório” era visitar a capital, Lisboa. Nela, percebe-se com bastante nitidez a área antiga e a moderna. Essa última foi muito modificada por conta da realização da Exposição Mundial de 1998 (Expo 98). O local era uma zona industrial pouco aproveitada, que passou por revitalização para receber o evento. Após seu término, transformou-se no Parque das Nações, com edifícios de arquitetura marcante, o Oceanário de Lisboa – um dos maiores aquários do mundo – uma marina e teleféricos. Na região, encontram-se ainda duas construções imponentes: a Torre Vasco da Gama, o maior arranha-céu do país, com 140 metros, e a ponte Vasco da Gama, a maior da Europa, com 12,3 quilômetros de extensão.

Portugal tem uma Veneza para chamar de sua. É a cidade de Aveiro, que possui canais semelhantes aos da cidade italiana, por onde embarcações típicas transportam turistas. (Foto: Guido Barberis/divulgação)

Na parte antiga, a história do país salta aos olhos. Existem exemplares bem conservados da presença de romanos e muçulmanos, bem como de períodos posteriores até a atualidade, com lojas harmoniosamente inseridas em prédios centenários recuperados. Pela importância histórica, um dos destaques é a Praça do Comércio, mais conhecida como Terreiro do Paço. Foi residência de reis, abriga há séculos órgãos do governo e presenciou acontecimentos marcantes do país, como a proclamação da república em 1910.

A designer Luana encontrou tempo também para visitar a “Veneza Portuguesa”, como é conhecida a cidade de Aveiro. O lugar é banhado por canais de água, por onde passam os moliceiros – barcos que antigamente dedicavam-se à coleta de moliço, uma espécie de alga, e hoje transportam turistas. Lá, ela provou os Ovos Moles de Aveiro, uma das iguarias locais, que inclusive consta na lista de produtos agrícolas e alimentares com a denominação de Indicação Geográfica Protegida (IGP) da União Europeia. “Os restaurantes de frutos do mar também são excelentes, mostrando o quão rica é a cultura de Portugal”, ressalta Luana.