Face to Face por Ana Candemil

A arquiteta mostra ambientes nos quais ela reverteu situações que poderiam ser um empecilho, usando sua perspicácia.

Neste ambiente, aproveitando a existência da varanda, Ana escolheu um tecido mais leve para as cortinas – que combinou com o clima neutro e refinado.

Todo projeto tem seus desafios. Em maior ou menor grau, demandam perspicácia dos arquitetos para criar soluções que sejam funcionais, práticas e agradáveis esteticamente. “Situações do tipo são excelentes chances para incrementarmos nossa habilidade de reverter questões de projeto que poderiam ser um empecilho”, ressalta a arquiteta Ana Candemil, de Blumenau. Fizemos um tour em algumas obras concebidas por ela, nas quais foi preciso uma dose extra de dedicação em detalhes que deixaram de ser problema para atuarem como belos diferenciais.

Ao entrar em uma residência na qual foi chamada para fazer o projeto de interiores, a arquiteta Ana Candemil já percebeu algo raro. A casa continha um sótão que recebia um home theater e um dormitório – ambos praticamente triangulares devido à grande inclinação do teto. Havia, ainda, panos de vidro que iam do forro ao chão. O sol bate no local por várias horas do dia, exigindo um trabalho que resolvesse o problema com beleza, praticidade e sofisticação.

Assim que a ideia de aplicar película foi descartada, Ana pensou em colocar cortinas. Por conta do desafio do ângulo, elaborou um projeto – executado pela Schwanke Casa – cujos trilhos acompanham o teto. A maior parte do tecido fica presa, dando mobilidade suficiente para amarrar a cortina de modo que a luz natural possa entrar quando desejado. “A aparência com linho traz requinte junto a uma cor que é neutra, mas que marca presença com muito estilo”, diz.

Em outra residência, alguns desafios também demandaram certo jogo de cintura. Nela, a arquiteta utilizou painel de madeira com moldura para esconder um pilar. Ao mesmo tempo em que faz essa função, permitiu a criação de um bar/estar com poltronas de couro e mesa de apoio. A madeira aqueceu o ambiente e ajudou a criar um clima de pub inglês em harmonia com a decoração.

No mesmo imóvel, a suíte master contava com proporções generosas. O grande tamanho demandou cuidados na composição, a fim de evitar uma eventual sensação de vazio. Ana então projetou uma cabeceira que se estende até o teto, valorizando a área disponível. A cortina em linho com blackout foi envolvida em uma estrutura de madeira. O motivo? Fazer com que os raios de sol não “vazem” pelas laterais. “São soluções criadas para se adaptar a necessidades específicas sem perder a harmonia, o requinte e a praticidade”, ressalta a profissional.