Últimas Novidades

22 set 2021

PROJETOS

Encontros do design por Arlon e Carlos Eduardo
PROJETOS

Encontros do design por Arlon e Carlos Eduardo

Em nome da autoexpressão, o apartamento em Criciúma recebeu uma curadoria impecável de diversas nacionalidades em um cenário atemporal para o crescimento da jovem família.

Foto: Rudi Razador

No cenário artístico, criadores exploram suas obras como se fossem um canal, um interlocutor. Diversas peças que se tornaram símbolos mundiais foram concebidas por mãos que tentaram expressar aquilo que o coração e a mente sentem. Salvador Dali abraçava o surrealismo para pintar sua visão de mundo em telas instigantes; Le Corbusier uniu teoria e técnica para projetar prédios engenhosos, visionários; e assim por diante. Neste projeto, assinado pelos arquitetos Arlon Fernandes e Carlos Eduardo, a curadoria de móveis e quadros é como uma autoexpressão da família, composta pelo casal e seus dois filhos pequenos.

Foto: Rudi Razador

Comandando uma reforma completa, o duo tinha a missão de transformar o apartamento no pano de fundo para a família crescer, desvencilhando-se de quaisquer tendências ou padrões passageiros para adicionar peça por peça com cuidado, afeto e significado. Por isso, os 380 metros quadrados foram explorados com atemporalidade, contemplando o gosto apurado dos proprietários pelo mundo artístico.

Foto: Rudi Razador

Entre os nomes selecionados, Oscar Niemeyer, René Lalique, Aristeu Pires e Zanini de Zanine estão entre as assinaturas do mobiliário que transcende épocas — além de telas deslumbrantes,
como o quadro de corda concebido por Janaina Mello Landini para compor a sala de estar.

PONTOS-CHAVE:

• Das mãos de Niemeyer surge a poltrona Alta: um ícone do mobiliário modernista. Suas curvas ondulares foram unidas ao sofá Brand, assinado por Jayme Bernardo, e à mesa de centro Tiles.

Foto: Rudi Razador

• As poltronas estampadas foram resgatadas do antigo acervo da proprietária, compondo o seu valor estético e afetivo na proposta. O carvalho natural transforma com aconchego o espaço, que conta com decorações suaves e o vaso Tourbillons Lalique, obra de René Lalique.

• A proposta norteadora do living foi enaltecer o acolhimento para os visitantes, segundo Arlon. Esse aspecto é protagonista, seja pelos estofados de alto padrão ou pela cartela de cores suave e intimista.

Foto: Rudi Razador

Inspirado na morfologia feminina, Gaetano Pesce criou a poltrona Up há mais de 50 anos. A obra, repleta de módulos circulares, é um dos destaques da sala íntima. O grandioso sofá Ernesto em couro cinza se estende pelo espaço — que será o principal ambiente de lazer da família. Além da TV e do armário funcional, a mesa Saarinen, assinada por Eero Saarinen, forma um cantinho para refeições junto das cadeiras Bossa, trazidas da antiga casa dos moradores e assinada por Jader Almeida.

Foto: Rudi Razador

Para dar as boas-vindas no hall do lar, a cadeira orgânica Wigge, de Frank Gehry, foi adicionada com as arandelas douradas de Joaquim Tenreiro.

Foto: Rudi Razador

Ornamental e desenvolvido para encantar, o lustre Baccarat é o ponto-chave da sala de jantar. A peça, assinada por Philippe Starck, possui várias faixas que criam um esplendor de iluminação e centraliza a mesa Viga, desenvolvida por Zanini de Zanine, e as esbeltas poltronas Sênior, de Jorge Zalszupin. O banco Colméia, da Lattoog, também participa da composição, com suas ripas de madeira curvada e cores escuras — que se comunicam com o décor de forma descontraída e refinada.

Foto: Rudi Razador

Integrado à área social, o escritório é um ambiente leve — afinal, criação e produção necessitam de serenidade. Com armário e prateleiras minimalistas, o espaço recebeu o essencial sem deixar a elegância de lado: a mesa Saarinen em formato oval e as cadeiras Sênior são a prova disso, escolhidas para elevar a elegância do local.

Foto: Rudi Razador

O Rack Moon, do designer Zanini de Zanine, é o protagonista da suíte do casal. O elemento foi desenvolvido especialmente para o projeto, graças a um pedido dos arquitetos, e foi composto ao lado da poltrona H, assinada pelo mesmo artista.

Foto: Rudi Razador

Aliada à narrativa limpa e sofisticada do ambiente, a iluminação foi desenvolvida através de arandelas e abajures — enquanto o carpet e os painéis auxiliam no conforto acústico.

Foto: Rudi Razador

O closet foi planejado para que cada elemento fosse um obra de arte, segundo Arlon Fernandes. A amplitude foi pensada para que não haja necessidades futuras de intervenções no mobiliário e o carvalho natural tem o papel comunicador entre o espaço e a área social e a circulação. A laca e o tampo de vidro deram vida à bancada, que recebeu a cadeira N.O, assinada pelo grupo Front a
partir de inspirações na feminilidade.

Foto: Rudi Razador

Os filhos tinham a resposta na ponta da língua quando perguntados sobre o tema de seus quartos: navegação. Assim, os arquitetos transformaram os ambientes para transmitir a sensação de se estar em uma cabine de navio pirata. Criativos, eles revestiram o teto e as paredes com papel da cor azul, adicionaram bancos Toy, de Jayme Bernardo, e desenharam tecidos especialmente para os espaços.

Foto: Rudi Razador

Os proprietários queriam que os quartos fossem iguais, porém, com a possibilidade de fechamento em um deles para a privacidade. Nichos nas paredes incentivam a leitura, enquanto a mesa e as cadeiras formam o cantinho perfeito para os estudos.

DETALHANDO

1. Criada na década de 1970, a poltrona Alta permanece contemporânea. Seu desenho é um dos protagonistas da curadoria do apartamento, junto da cadeira Wiggle — desenhada na mesma época pelo canadense Frank Gehry.

Foto: Rudi Razador

2. Integrada ao jantar, a varanda recebeu cores vibrantes e complementares para os instantes contemplativos. O cabideiro Tarsila, de Aristeu Pires, adiciona um aspecto artístico no ambiente, enquanto o banco Dominó, assinado por Cláudia Salles, e os vasos de mármore Mont Blanc, concebidos pelo escritório, estão entre os objetos que enaltecem a proposta monocromática.

Foto: Rudi Razador

Publicações Relacionadas