Últimas Novidades

12 jul 2020

ENTREVISTA

ENTREVISTA

Avant-garde: entrevista com Tufi Mousse

Premiado e extremamente focado no trabalho, o arquiteto de Joinville é capaz de falar, com a mesma desenvoltura e simpatia, sobre miniaturas de Lego e escola Bauhaus. E ainda te oferece um café.

Tufi Mousse está criando o futuro. Um pouco no dia a dia, com uma arquitetura sempre comprometida com a funcionalidade e a durabilidade, e outro pouco com as maquetes feitas de Lego, um hábito que nasceu na infância e ficou sério na vida adulta. Em casa, ele tem montada uma cidade com estradas, ferrovias e 15 protótipos de residências. “Eu tenho muito isso na minha cabeça: um futuro onde você possa levar a sua casa para onde você quiser. A história desses edifícios cápsulas, onde você compra um espaço para ser conectado”.

No escritório, ele expõe outras miniaturas, de prédios com arquitetura consagrada, como a Villa Savoye – projetada em 1928 pelo arquiteto franco-suíço Le Corbusier – e a Casa Kaufmann, obra de 1946 do arquiteto Richard Neutra que fica em Palm Springs, na Califórnia.

A experiência de duas décadas trouxe o reconhecimento nacional e internacional. No ano que vem, Tufi estará na Bienal de arquitetura, em Veneza. (Foto: Ronald T. Pimentel/Revista SuaCASA)

O escritório do arquiteto está no mesmo lugar desde a fundação, em 1999. Aliás, esse era o ponto da loja de tecidos do pai de Tufi, seu Behzad Fouad Mousse, que veio do Líbano para o Brasil em 1949 e construiu a casa na década de 1960. “Esse lugar me traz uma energia muito boa, uma energia para trabalhar e para viver”.

ESTUDIOSO
Tufi é um entusiasta da Escola Bauhaus, fundada em 1919 na Alemanha, e que foi um marco para a arquitetura moderna, para o design e para a arte. “Nem tudo da Bauhaus eu concordo, mas a ruptura estética que ela causou me seduz muito”. Levado por essa admiração, o arquiteto busca desenvolver plantas arrojadas, mas que tenham a funcionalidade como principal característica. Na escolha de materiais, costuma estar atento às inovações, mas desde que façam sentido para o uso diário.

(Foto: Ronald T. Pimentel/Revista SuaCASA)

A experiência de duas décadas trouxe o reconhecimento. No ano que vem, Tufi estará na Bienal de arquitetura, em Veneza, e hoje ele é o representante do norte do estado com maior participação e premiação no mais expressivo evento de arquitetura das Américas. Além disso, o escritório tem ampliado suas fronteiras pelo Brasil e pelo mundo, com projetos executados em São Paulo, no Rio Grande do Sul, em Londres e nos Estados Unidos.

A busca por inovação também é constante. É comum ouvir dos clientes que Tufi tem sempre uma solução inteligente para os dilemas de um projeto, e que ele acompanha, como se diz, a vanguarda estética e tecnológica. Por meio de critérios limpos e funcionais, o arquiteto é também reconhecido pela elaboração de projetos sintonizados com cada perfil de cliente. Se Tufi Mousse está acertando suas previsões para o futuro, ao montar edifícios cápsulas e cidades imaginárias, só o tempo nos dirá. Mas é evidente que suas referências de passado são estupendas e que, no presente, ele já está certo no que faz.

Publicações Relacionadas