Últimas Novidades

20 set 2021

DECORAÇÃO

Inverno: mudaram-se as estações e tudo mudou
DECORAÇÃO

Inverno: mudaram-se as estações e tudo mudou

Como um abraço quente, a decoração invernal chega para acalentar o trimestre frio: são como roupagens que dão as boas-vindas a estação mais inspiradora do ano.

Produção: @ocadesignbrasileiro e @haviaoficial | Locação: @villaggiogrando | Mobiliário: cadeira Strombo (@diegolilarissa para a @mileniohome), bar Finess (@tocadamovelaria), poltrona em couro (@studio6f) e almofadas El Malibu Velvet, El Mudo Gold e Naturalíssima Chicago 118, da coleção Premium (@haviaoficial) | Foto: Kacio Lira

No horizonte, o sol está pronto para nascer incansavelmente no mesmo lado, cotidianamente. Nesta época do ano, ele é tímido e é comum a sensação dos dias serem mais curtos — em uma lógica científica, o eixo da Terra se afasta do astro rei e os seus raios a aquecem por menos tempo. Nos jardins, as gramas amanhecem congeladas pela geada, neve ou úmidas pelo sereno da noite anterior e, emolduradas pelo cenário branco e bucólico, as begônias e gardênias recebem o calor da luz natural atravessando as suas pétalas multicoloridas: afinal, estão prontas para desabrochar na mais fria estação.

As flores típicas do inverno exibem a premissa do reinvento para vivenciar ao máximo a época friorenta. Quando a estação aparece, traz consigo o desejo pelas coisas mais simples como o calor de um abraço, o conforto de um lar, uma pausa na rotina para tomar um café ou uma comida saborosa saindo do fogo.

O projeto de autoria da arquiteta e paisagista Denise Barretto explora a pluralidade que as lareiras emitem: o elemento-chave foi embutido em porcelanato em forma de nicho no grande painel em madeira. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

As estações bem definidas fazem de parte do Brasil privilegiada quanto às temperaturas negativas. E, apesar do inverno dividir opiniões — há quem seja apaixonado pelo aconchego que o frio emite, tão propício para ficar entre as cobertas, e há os que detestam apenas a ideia de acordar com a temperatura despencando —, os ambientes precisam estar preparados para recebê-lo. Por isso, arquitetos e designers de interiores foram convidados para expressar os pontos norteadores da decoração invernal e a composição de lares no período em que as lareiras são como melhores amigas, os tecidos são partes dos moradores e tantos outros elementos entram em cena para deixar os ares tranquilamente aquecidos.

As lareiras extrapolam a sua função de aquecer, tornando-se parte da decoração invernal. Com seus nobres materiais, o elemento constrói um pano de fundo para cotidianos aconchegante. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

Fechar as janelas, acender a lareira e preparar um delicioso chocolate-quente: as vislumbrar esse cenário, as mais ricas sensações de aconchego, tranquilidade e afeto são enaltecidas. Os mesmos sentimentos são reverberados ao pensar em uma leitura na beira no fogo ou aninhar-se com quem se ama em um ambiente com uma grande lareira. Além de tornar os espaços mais confortáveis para o cotidiano de baixas temperaturas, os itens são grandes aliados estéticos e podem ser compostos e revestidos com diversos materiais como rochas ornamentais, diversas faces da madeira e até mesmo vidros temperados.

Para Eduarda e Giovanni, do Zucki Bellincanta Arquitetos, elementos rústicos também são bem-vindos nas composições invernais. Afinal, resgatam a sensação de refúgio e oferecem a possibilidade de serem mesclados a quaisquer identidade.

Produção: @casamaisinteriores @revest.decor.home | Mobiliário: sofá Piano (@designerricharddaniel para o @estofadostironi), almofadas (@quakerdecoroficial) e manta (@maioricasa) | Foto: Kacio Lira

Um dos elementos mais pedidos no inverno, o sol é o grande protagonista da estação fria. Afinal, nada como passar um bom tempo com o calor natural aquecendo o corpo. Porém, como há menos iluminação solar neste período, a parte luminotécnica deve ser pensada com expertise nos projetos de interiores.

Ares propícios para o descanso foi construída neste living assinado pelo escritório Deborah Roig Arquitetos Associados, onde a iluminação personalizada evoca um acolhimento singular. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

Para ambientes que majoritariamente recebem uma composição clara, neutra e tranquila, uma iluminação com aspecto intimista valoriza as propostas — e pode ser construída com luminárias de piso, arandelas, abajures e até fitas de LEDs.

A arquiteta Erika Queiroz criou um projeto luminotécnico particular e adicionou pontos de luz na adega e nos nichos. A lareira, a rocha ornamental e as cadeiras criam uma estética propícia para relaxar. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

Em cidades frias, considera-se que o dia está inacabado se não há um momento em torno da lareira. Por tanta procura, o mercado conta com uma imensa variedade das peças: além das tradicionais a lenha, utilizadas desde o século XVIII, há também a gás, elétricas e ecológicas — que não agridem o meio ambiente, pois são movidas a energia renovável.

Produção: @lcl.desgin e @reveevoficial | Locação: @museuarlivre || Enxoval: coleções Blossom e Athena e almofada algodão Percal (@yvesdelormeparis) | Mobiliário: cama Barolo, colchão Vicenza e tecidos Rustic Linho e Malha em Algodão Orgânico (@reveevoficial) | Foto: Kacio Lira

Essa versatilidade auxilia na composição dos projetos e oferece opções que não necessitam de reformas e intervenções estruturais, além de transformarem os espaços em verdadeiros refúgios juntos de sofás, poltronas, cadeiras e até camas — tudo planejado para um quente descanso.

O designer de interiores Bruno Carvalho escolheu a lareira ecológica para a varanda. Além do desenho contemporâneo, o elemento é portátil e pode ser carregado para todos os ambientes. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

Por ser considerada uma estação intimista, a palavra-chave é reverberada na decoração de interiores exatamente assim: composições com adornos pontuais, iluminação aconchegante e livre de excessos. A inserção de folhas secas e de velas aromáticas são uma ótima sacada, além de uma cartela de cores que valoriza a claridade.

A pedra assume protagonismo no ambiente e seus veios percorrem tonalidades de cinza, branco e bege. A imponência da composição é complementada por folhas secas e tom de azul. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

É comum o uso de tonalidades sóbrias, neutras e terrosas, como o castanho, o bege e cinza. Cores escuras como o mostarda, azul petróleo e o terracota também são adicionadas, pois transmitem aquecimento aos espaços.

Produção: @lcl.design e @reveevoficial | Locação: @museuarlivre | Enxoval: coleção Boss Runway (@boss) | Mobiliário: cama Parma Due, colchão Azzano e tecidos Panamá e Malha Chablis (@reveevoficial) | Foto: Kacio Lira

Um dos segredos milenares para manter os ambientes quentes é distribuir tecidos estrategicamente pela casa. Das roupas de cama às cortinas, os componentes vão além de serem objetos decorativos de peso — por causa das cores, formatos e estampas — e emitem um inigualável convite a permanência. Fabricados para contemplar o período de frio, os tecidos mais encorpados — como o veludo e a camurça — grossos e felpudos podem ser adicionados em almofadas e tapetes, por exemplo.

Produção: @casamaisinteriores @revest.decor.home | Mobiliário: sofá Leblon (@designerricharddaniel para a @estofadostironi) e manta (@luanaramalho.decor e @revest.decor.home) | Foto: Kacio Lira

Para quem procura, há estilos de decoração que dialogam com a essência invernal e valorizam o conforto como ponto norteador das criações. O Hygge — nascido na Escandinávia e adotado pelos dinamarqueses — é um conceito que busca traduzir os frios dias da Dinamarca e a forma como o povo lida com o seu bem-estar, já que é considerado um dos países mais felizes do mundo.

Explorando novas formas de morar, a equipe do 3P Studio projetou um home office multifuncional. Com espaço para descomprimir, a frase foi adicionada com uma escada de livros para simbolizar a
necessidade de desacelerar em certos momentos. Foto: Rafael Ribeiro

Cultivar objetos de valor sentimental, ter espaços para reunir os amigos e planejar ambientes que acolham a solitude são alguns dos pontos-chave da vertente que aprecia as coisas mais simples da vida, como preparar uma deliciosa receita e desfrutar de um chá.

Um jardim também foi projetado com cobertura de vidro e iluminação artificial, que simula a luz natural de um jardim de inverno. “É um respiro para o dia a dia, onde se pode oxigenar o cérebro, reavaliar escolhas e colocar os pensamentos no lugar”, comenta Aline. Foto: Rafael Ribeiro

Conhecido por muitos como o segredo dinamarques para a felicidade, o Hygge é um dos pilares do projeto assinado por Aline Pires, Julia Prado e Natália Prates, do 3P Studio. A conexão com a terra e a sustentabilidade também foram alvos explorados pelas arquitetas, que escolheram diversos revestimentos reciclados.

A mesa de trabalho se transforma em uma mesa de jantar, o balcão suspenso é para guardar arquivos e o painel com os dizeres “lembre-se do porquê você começou” é um espaço para as pautas diárias. Foto: Rafael Ribeiro

A afetividade e a tecnologia foram unidas para proporcionar um ambiente sereno, que tem recebeu a cor rosa na área de trabalho e o verde pontualmente adicionado no nicho. Agulhas de tricô enroladas em novelos, velas e cestos aguçam os sentidos.

A lareira é um dos focos principais do projeto, propiciando relaxamento, leitura e introspecção, mas, ao mesmo tempo, pode ser um espaço para receber amigos em noites frias. Foto: Rafael Ribeiro

Com a mudança das estações, é comum que os moradores troquem as piscinas e jacuzzis por ambientes sociais internos. Por isso, os arquitetos e designers de interiores planejam áreas de conversação, de bate-papo ou cantinhos mais íntimos para os clientes ficarem a sós — geralmente com uma ampla uma chaise ou uma cadeira confortável.

Segundo a equipe do CD+R Arquitetos Associados, a sensação de aquecimento é criada a partir dos hábitos dos moradores. Práticas como acender a lareira, as velas e trocar os papéis de paredes fazem toda a diferença no preparo para o frio.

Produção: @lcl.design e @haviaoficial | Locação: @museuarlivre | Mobiliário: sofá Louvre e mesa de apoio Vinco (@sierra_oficial), e almofada Villa Olmo Ochre, da coleção Premium (@haviaoficial) | Foto: Kacio Lira

Para quem quer mudar os ares sem grandes reformulações, há a possibilidade de criar um espaço para o preparo e o desfrute de cafés, vinhos ou bons drinks. Um buffet de madeira e pequenos acessórios já transmitem a essência do bem receber, por exemplo.

Produção: @slsabrina_lopes | Enxoval: coleção Livorno (@trousseauoficial) e manta (@muguethome) | Foto: Kacio Lira
Tonalidades escuras e estampas quadriculadas estão entre as estratégias que unem bom gosto, sofisticação e uma arrebatadora sensação de abrigo | Foto: Kacio Lira

Alguns elementos por si só já convocam o calor tão necessário, principalmente nos dias que parecem estar congelantes. A madeira é um deles que, além de possuir um visual atemporal, plural e mutável, também transmite uma sensação de aquecimento natural aos interiores.

De um lado da criação de Andrezza Alencar, a pedra emite frieza e a ligação com o clima invernal. De outro, a madeira proporciona o calor tão desejado. Foto: Thiago Travesso

Democrático, o material pode ser utilizado em painéis, no forro, no piso ou na movelaria fixa e solta: as possibilidades são inimagináveis.

Diversas faces amadeiradas foram adicionadas neste projeto assinado pelo escritório Cacau Ribeiro Interiores. As portas sanfonadas francesas foram feitas à mão em madeira de Cumaru e trenós, formam uma barreira semitransparente que integra o exterior com o interior. Foto: Felipe Araújo

Envolver as mãos em um tecido macio, deitar-se em um estofado que abraça… Ao voltar o nosso olhar para as composições de inverno, as texturas são pontos decisivos no resultado final. Por isso, os elementos naturais comumente são os escolhidos, donos de texturas inconfundíveis. Para a designer de interiores Andrezza Alencar, revestimentos gostosos ao toque e aconchego visual são fatores essenciais para reforçar a atmosfera de abrigo, tão procurada no cotidiano frio.

Uma gama de elementos naturais se misturam com a paisagem. No projeto de Cacau Ribeiro, a luz e o ar são filtrados através das lacunas nas telas, resultando em temperatura e iluminação confortável. Foto: Felipe Araújo
A adição do tapete é um exemplo imprescindível da diferença que o elemento causa ao décor de inverno: um arremate intuitivo que estimula o acolher. Foto: Thiago Travesso

A engenheira civil e designer de interiores Iara Ribeiro opta pelo uso de papéis de parede para personalizar os ambientes invernais sem a necessidade de mão de obra. Com eles, as tonalidades mais fechadas podem ser adicionadas com facilidade. Além disso, Iara costuma apostar em luzes indiretas e amareladas, aquecedores e, claro, deixar a iluminação solar entrar nos espaços. Porém, ela alerta: “se seus móveis estão próximos ou encostados nas paredes em dias frios, a tendência é transmitir o clima ou a umidade. Desencoste um pouco as camas, os sofás ou outros móveis das paredes que recebem a umidade”.

Produção: @lcl.design e @haviaoficial | Locação: @museuarlivre | Mobiliário: cadeira Luxor (@sierra_oficial), tapete persa Reloaded e manta Grid Knit Charcoal, da coleção Premium (@haviaoficial) | Foto: Kacio Lira

A experiente designer também não esquece dos pequenos detalhes. “Aproveite a ocasião e compre um bonito jogo de xícaras com estampas diferentes ou resgate louças antigas e lembre-se: o dia só começa depois de um bom café”, sugere. Já a arquiteta Isabela de Fáveri busca deixar
a casa preparada com texturas que emanam aconchego.

Foto: Studio Tertúlia

Somada com outras características-chave, a tecnologia entra como fator determinante para manter a temperatura das residências em graus medianos e altos. Tecidos feitos com materiais tecnológicos antialérgicos são uma boa alternativa para sanar as irritações.

Segundo Regina Misk, as tramas e texturas são um dos pontos-chave na decoração invernal por causa da sensação de aquecimento que provocam. Foto: Studio Tertúlia

Outro mecanismo atual e eficiente é o aquecimento de pisos, que transforma a superfície da residência em um grande painel emissor de calor. Adicionado em baixo do revestimento, o aquecimento pode ser ajustado por meio de controles e garante o conforto dos moradores e de seus pets.

A arquiteta Thay Santana homenageou a cultura indígena na área gourmet que mescla elementos rústicos, étnicos e a arquitetura contemporânea. Foto: Lio Simas

É impossível imaginar um cenário típico do inverno sem pensar nas históricas cenas hollywoodianas em meio a neve. Datas comemorativas, encontros amorosos e dezenas de acontecimentos são registrados no cenário que fica na memória e inspiram sentimentos afetivos.

Grandes aberturas de vidro são sempre uma boa alternativa para o calor entrar e, de quebra, valorizar a composição interna.

Graças a tantos registros, o apego à estação fria é universal e acaba espelhado na forma como se projeta, aprecia e vivencia os lares.

Não há espaço onde a adição de mantas e almofadas não sejam uma boa ideia. No inverno, todos os ambientes podem ser estilosos e refinados.

A elegância expressa em roupas e sapatos adentra os ambientes invernais nesta época do ano. Segundo a arquiteta Ingrid Jerônimo, o inverno possibilita o exagero de elementos decorativos, que passam de simples complementos a protagonistas para cumprir a missão de acolher.

Produção: @lcl.design e @haviaoficial | Locação: @museuarlivre | Mobiliário: poltrona Rio (@angeloduvoisin para a @mooramobilia), mesa de apoio Vitória, banqueta E45704 (@sierra_oficial) e almofadas Paris Premium e Caramel Linen, da coleção Linha (@haviaoficial) | Foto: Kacio Lira

Amante da estação, Ingrid enaltece o uso de mantas sobrepostas, peles naturais e tonalidades terrosas: “a sobreposição de mantas e almofadas é a alternativa mais elegante e aconchegante para esse período mais gelado”, complementa. A arquiteta Mônica Peressoni lembra da essência do inverno: estar junto. Para ela, o cenário de inverno ideal é se estar com a família e com os amigos.

Produção: @slsabrina_lopes | Enxoval: roupa de cama (@muguethome) e mantas (@elisaatheniensehome) | Foto: Kacio Lira

Todo ano o inverno tem mês e hora para iniciar, porém, quando há necessidade de tirar a poeira dos casacos — que estavam no fundo do armário — já há indícios de que a estação se aproxima.

Tanto o desenho quanto a escolha dos revestimentos da lareira conversam com plenamente com proposta rústica sofisticada do projeto assinado pelo arquiteto Olegário Desa. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

A experiência em criar projetos em regiões frias faz a arquiteta Hemanuele Liz, do H’Liz Arquitetura e Interiores, mencionar a primordial harmonia entre o conforto visual e térmico nas composições invernais. Assim como ela, a arquiteta Paola Janke de Lima, do escritório Michelle Donida Arquitetura, não abre mão de optar por materiais e texturas que aquecem e acolhem. Entre eles, o uso de materiais naturais e de tonalidades que emitem sensações de conforto, intimismo e hospitalidade.

Produção: @ocadesignbrasileiro e @haviaoficial | Locação: @villaggiogrando | Mobiliário: bar Hall (@panobiancoart para a @tissot_moveis), banco Garden Seat (@omadesign_br), poltrona Trevo Drink (@felipeprotti para a @tocadamovelaria), quadro (@lisiwendel_art para a @casa_tendenza) e almofadas Geometric Cinza, da linha Estamparia, e Naturalissima Mohair, da linha Pemium (@haviaoficial) | Foto: Kacio Lira
O mercado possui diferenciadas lareiras portáteis que facilitam o dia a dia dos proprietários. No projeto de Denise Barreto, a ECO 44 foi a escolhida. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

Pouco importa o formato familiar ou como é a residência, o inverno entra como uma ponte para a construção de ambientes aprazíveis e instantes prazerosos. A decoração também visa alterar a qualidade de vida dos moradores com funcionalidade e reflexão, podendo ser reformulada com pequenas atitudes: mudar a distribuição dos móveis, apostar em lareiras portáteis e inserir espécies de plantas da estação pode ser uma maneira de começar a mudança.

Charmosas e contemporâneas, as lareiras portáteis percorrem os ambientes como peças decorativas.
Produção: @lcl.design e @reveevoficial | Locação: @museuarlivre | Enxoval: coleções Blossom e Triomphe e almofada (@yvesdelormeparis) | Mobiliário: base Piano, cabeceira Varesa Lisa, tecidos Florença Bege e Malha Moet, e colchão Asti (@reveevoficial) | Foto: Kacio Lira

O time do escritório Medeiros Rossetto Arquitetos ousa na criação invernal e deixa os espaços mais criativos com a seleção de tecidos de diferentes padronagens. “A grande aposta é trocar as estampas por texturas, xadrez, chevron ou listras”, comenta a dupla.

Produção: @casamaisinteriores @revest.decor.home | Mobiliário: poltrona Trancoso (@designerricharddaniel para a @estofadostironi), luminária Lume (@brunofaucz para a @tissot_moveis), lareira (@mosaikorochas) e almofadas da coleção Nepal (@entreposto e (@revest.decor.home) | Foto: Kacio Lira

Como no enxoval com detalhes em bordado inglês, fitas e cores leves, a roupa de cama traduz o estilo do quarto e pode ser totalmente personalizada para abraçar o morador.

Produção: @slsabrina_lopes | Enxoval: coleção Royal Celebration (@muguethome) | Foto: Kacio Lira

Para que seja vivenciado plenamente, o inverno necessita que alguns espaços sejam readaptados para recebê-lo. Esse é o caso das áreas externas, que mantêm a sua importância nas residências apesar das baixas e negativas temperaturas. Coberturas de vidros e a adição de jardins verticais podem auxiliar a barrar o excesso de frio, assim como a escolha por lareiras Fire Pit — modelos planejados para compor o exterior dos projetos.

As Fire Pit ainda são recentes no Brasil e oferecem novas formas de projetar espaços externos. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

Há tecidos que cobrem paredes e auxiliam a manter a temperatura agradável, há cortinas que recebem duas ou mais camadas para barrar o vento das frestas de janelas. O importante, sem dúvidas, é utilizar técnicas de decoração para unir beleza e acolhimento as composições internas. A arquiteta e engenheira civil Eliane Guerra comenta as suas paixões do inverno. Entre elas, as refeições saborosas, um bom vinho e uma companhia em torno da lareira.

Produção: @ocadesignbrasileiro e @haviaoficial | Locação: @villaggiogrando | Mobiliário: poltrona Lia (@salvamobiliario) e manta Naturalissima Tricot Terracota Tranças, da linha Tricot (@haviaoficial) | Foto: Kacio Lira

Uma tática difundida por arquitetos e designers, a adição de mantas e cobertores em excesso é uma tradicional estratégia da decoração invernal, já que os elementos estarão sempre prontos para garantir instantes imersos no conforto.

Produção: @slsabrina_lopes | Enxoval: coleção Laure (@trousseauoficial) | Foto: Kacio Lira

Por trazer à tona o resgate de memórias afetivas através por meio da pureza de elementos naturais, o estilo rústico acaba inevitavelmente aparecendo nas decorações de inverno. Os materiais como a madeira, o barro e a pedra servem como referências a tempos mais simples e, presentes na composição interna, reforçam os sentimentos íntimos.

Suspensa, a lareira possui base de madeira de demolição e adiciona belos toques rústicos à composição urbana concebida por Cilene Lupi. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

Ao planejar a decoração de inverno, Gustavo Barnabé, do G7 Arquitetura, começa pelas coisas que dão sentido aos espaços: “um bom vinho, uma adega e um bar com bebidas selecionadas… uma lareira, muitas mantas e um ambiente carregado de amigos”.

Produção: @casamaisinteriores @revest.decor.home | Mobiliário: sofá Bueno (@designerricharddaniel para a @estofadostironi) e acessórios (@revest.decor.home) | Foto: Kacio Lira

Renovação é a palavra de ordem quando novas estações chegam. Além de simbolizar o fechamento de um ciclo para a entrada de um próximo repleto de particularidades, o inverno tem o poder de renovar a capacidade do ser humano de adaptação, de se reinventar independente do gosto pessoal pela época em si.

Produção: @ocadesignbrasileiro e @haviaoficial | Locação: @villaggiogrando | Mobiliário: poltrona e pufe Maré (@samucaberger para a @salvamobiliario) e almofadas Atemporal Nubby Premium e Naturalissima Chicago 118, da linha Premium (@haviaoficial) | Foto: Kacio Lira

Por isso, optar pela transformação dos espaços é trazer para o cotidiano novas formas de contemplar os ambientes, seja em um home theater com um bom filme em tela ou esparramado em uma grandiosa cama, com elementos tecnológicos auxiliando no conforto. Gieza Bernardi conta que, para o recolhimento nas áreas internas, os tecidos pesados como cobre-leitos viram os protagonistas. A arquiteta ainda ressalta o afeto que o frio pede: “o calor humano não pode faltar, é hora de abraçar mais”.

Produção: @lcl.desgin e @reveevoficial | Locação: @museuarlivre | Enxoval: coleção Loft (@boss) e manta Zermat |Mobiliário: cama Piemonte, colchão Vittoria e tecidos Eclipse Grey e Malha (@reveevoficial) | Foto Kacio Lira

Selecionar os atributos para cada ambiente é como escolher uma roupa, onde as peças devem se equilibrar, cumprirem a sua função e, mesmo assim, não deixar a identidade do usuário de lado. Por isso, a decoração invernal também deve auxiliar a realçar a memória, o conforto e a personalidade do morador através das necessidades de cada ambiente.

As esculturas desenhadas por Amarinhos Teixeira torna o espaço assinado por Roberto Cimino e Nelson Amorim único. As cadeiras, desenhadas pelos arquitetos, o mix de tapetes e a lareira da Ecofireplaces constroem o espaço para longas conversas. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

Nas áreas íntimas, os quartos se transformam em abrigos e as camas e seus enxovais viram ninhos — onde ninguém terá vontade de ir embora.

Um contraste imponente se dá pela escolha da tela na criação de Bruno Carvalho — quebrando a claridade da paleta de cores que vai do tapete aos revestimentos. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

As arquitetas Samanta Campos e Maria Elise Luz, do escritório M.S Arquitetas, acreditam que planejar uma cozinha bem equipada é um dos bons investimentos para o período frio. Afinal, as pessoas ficam mais em casa e, com a gula aguçada, acabam cozinhando cada vez mais. Dos pratos mais simples aos sofisticados, o importante é saborear uma comida quente, feita com o afeto. As arquitetas também recomendam: “se possível, um fogão a lenha traz a rusticidade das casas de campo e de serra, além de deixar o ambiente aquecido.”

O cuidado com a escolha dos tecidos é essencial, segundo a designer Deise Steiner. Para ela deve-se priorizar elementos macios ao toque e que não prejudiquem a saúde dos moradores.

Produção: @lcl.design e @haviaoficial | Locação: @museuarlivre | Mobiliário: cadeira Gaudi (@sierra_oficial) e manta Painted Knit Grey, da coleção Premium (@haviaoficial) | Foto: Kacio Lira

A iluminação indireta tem o poder de desenvolver a atmosfera perfeita para o descanso e foi adotada pelo escritório Rogério Perez Arquitetura para o amplo e contemporâneo quarto. Os brises integram o ambiente à área social e, ao lado dos estofados e da lareira portátil, formam os pontos-chave do espaço íntimo.

Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces

Se engana quem pensa que personalizar um quarto para o inverno é apenas adicionar roupas de cama aconchegantes. As camas são um dos itens mais importantes para planejar e há variadas opções de formatos, alturas, tecidos e cabeceiras que podem ser produzidos sob medida para o usuário.

Produção: @lcl.design e @reveevoficial | Locação: @museuarlivre | Enxoval: coleção Divine e almofada (@yvesdelormeparis) | Foto: Kacio Lira

Assim, os ambientes mais desejados, procurados e pedidos por causa de tamanho conforto e acolhimento estará totalmente pronto para as longas noites de sono.

Produção: @lcl.design e @reveevoficial | Locação: @museuarlivre | Enxoval: coleções Palmea e Athena e almofada (@yvesdelormeparis) | Mobiliário: cama Nuvem, colchão Treviso e tecidos Eclipse Grey e Malha Tencel (@reveevoficial) | Foto: Kacio Lira

Cenários de inverno

Transcendendo estilos e particularidades, as criações invernais se destacam pela potência de sentimentos que o exterior pode inspirar. Apesar da estação acontecer anualmente, constantemente surgem tendências da arquitetura e interiores que auxiliam a criar a atmosfera regida pelo calor — humano e material. Nessa época, mais do que em qualquer outra, os ambientes se tornam símbolo de refúgio e reforçam que não há nada tão completo, primordial e único como o nosso próprio lar.

Para trazer perspectivas próprias e a experiência de compor na estação que acalenta, quatro escritórios de arquitetura e interiores foram convidados a personificar a cara da estação: Ana Cláudia Guerra e Phillippe Siarcos, da Guerra Siarcos Arquitetura, Joziane Pavinato, do Estúdio Criativo Arquitetura, Altanir Machado e Alexandre Kronemberger, do Machado e Kronemberger Arquitetura, e a dupla de arquitetas Bea Estevam e Cynthia Manfredini, do Vértice Arquitetura.

Produção: @artisanloja | Mobiliário: luminária Circo (@rejanecarvalholeite) e poltrona e pufe Serfa + (@zaninidezanine) | Foto: Kacio Lira

Considerada uma estação especial pela perspectiva da dupla do escritório de arquitetura Machado e Kronemberger, a inspiração invernal está por toda parte do espaço de estar. Os quadros de diferentes tamanhos deixam o cenário colorido através de tons particulares que lembram a natureza recolhida da estação, como os galhos secos e as folhas pouco pigmentadas. O sofá Horizonte foi a escolha dos arquitetos e foi criado por Emerson Borges em uma exploração
da multifuncionalidade.

Produção: @natuzziitaliasc | Mobiliário: objetos decorativos (@artsdesigndecor) e tapete (orientese) | Foto: Kacio Lira

Com um mood que retoma as origens do casal, os arquitetos do Guerra e Siarcos Arquitetura valorizam o seu amor pelo país e design italiano em um ambiente afetivo, sofisticado e que homenageia a riqueza de ser estar em conjunto. Para a arquiteta Ana Claudia Guerra, a estação é uma oportunidade de contemplar o lar, que pode ser apreciado de diversas formas. “Vestir a casa”, como ela diz, é uma forma de personalizar e de tornar os espaços mais elegantes. Uma paleta de cores sóbrias e ousadas protagoniza a proposta que conta com bons rótulos, velas e o aquecimento de elementos naturais — como o tapete e a manta em lã e o sofá Skyline em couro italiano.

Adicionada atrás do sofá, o retrato foi tirado pelo casal em Roma. Assim como o quadro, estátuas e livros do acervo do casal criam a memória afetiva.

Produção: @natuzzieditioncriciuma | Mobiliário: telas (@galeriainsalata) e tapetes e cestas (@addriambientes) | Foto: Kacio Lira

Nos projetos desenvolvidos pelo escritório Vértice Arquitetura, explorar as tonalidades terrosas é uma das estratégias para adicionar aquecimento aos espaços e, claro, foi explorada na convidativa proposta de estar. As texturas decorativas se mesclam a galhos secos para preparar o cenário invernal, que recebeu o tecnológico sofá Portento e poltrona Dalt revestida na cor pinhão.

Galhos secos e plantas da estação caracterizam o ambiente, e estão nas telas e fora delas.

Produção: @saccarooficial | Mobiliário: buffet Catalá (@muar_diseno) e banco Straccio (@saccarooficial) | Foto: Kacio Lira

A designer de interiores Joziane Pavinato, do Estudio Criativo Arquitetura, acredita que não há regras a serem seguidas ao compor uma decoração de inverno. Porém, certos elementos auxiliam a resgatar aspectos quentes às propostas, como é o caso dos tecidos e das tonalidades escuras. No ambiente que dialoga com atributos rústicos, a designer apostou na sobreposição de texturas e em móveis assinados que enaltecem o conforto, como a poltrona Patagônia, assinada por Bruno Faucz, que valoriza a união da madeira e do couro com irreverência. O aparador Palafita, de Roque Frizzo, enaltece a sobreposição, que conta com livros selecionados para desenvolver os ares intimistas.

As narrativas invernais comumente evocam objetos ligados a natureza, países e culturas. No espaço produzido por Joziane, o quadro Cocar, da arquiteta Leila Nishi, é uma charmosa referência indígena.

Veja outros projetos de decoração invernal:

Uma dupla imponente em projetos rústicos, a pedra e a madeira revestem a parede do living assinado pelo escritório Rogério Perez Arquitetura. As decorações também traz aquecimento, com cores
terrosas e materiais naturais. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
Uma dupla imponente em projetos rústicos, a pedra e a madeira revestem a parede do living assinado pelo escritório Rogério Perez Arquitetura. As decorações também traz aquecimento, com cores terrosas e materiais naturais. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
Com base de madeira de demolição e vidro semi temperado, a lareira é o centro das atenções em algumas varandas e terraços. Em alguns momentos do período frio, o fogo substitui a tímida iluminação solar. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
Com base de madeira de demolição e vidro semi temperado, a lareira é o centro das atenções em algumas varandas e terraços. Em alguns momentos do período frio, o fogo substitui a tímida iluminação solar. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
As lareiras apresentam designs cada vez mais apurados, além da versatilidade que o elemento atemporal oferece.
As lareiras apresentam designs cada vez mais apurados, além da versatilidade que o elemento atemporal oferece.
Tanto o desenho quanto a escolha dos revestimentos da lareira conversam com plenamente com proposta rústica sofisticada do projeto assinado pelo arquiteto Olegário Desa. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
Tanto o desenho quanto a escolha dos revestimentos da lareira conversam com plenamente com proposta rústica sofisticada do projeto assinado pelo arquiteto Olegário Desa. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
Criação das arquitetas Andrea Teixeira e Fernanda Negrelli, o mix de cores arenosas percorre a área social integrada e está na movelaria solta e na planejada. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
Criação das arquitetas Andrea Teixeira e Fernanda Negrelli, o mix de cores arenosas percorre a área social integrada e está na movelaria solta e na planejada. Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
Foto: Evelyn Muller | Ecofireplaces
O fogo é quase como um elemento lúdico em meio a imensidão verde e corrobora para uma atmosfera de fogueira, onde é possível reunir os amigos e confraternizar em torno do elemento.
O fogo é quase como um elemento lúdico em meio a imensidão verde e corrobora para uma atmosfera de fogueira, onde é possível reunir os amigos e confraternizar em torno do elemento.
Foto: Rafael Ribeiro
Foto: Rafael Ribeiro

Publicações Relacionadas