Últimas Novidades

22 out 2020

ENTREVISTA

ENTREVISTA

Movido a paixões: entrevista com Leonardo Dantas

O arquiteto Leonardo Dantas mantém o jeito tranquilo de falar, típico dos cariocas, mesmo vivendo em Joinville há quase 40 anos. Mas não se engane. Apesar da calma aparente, ele é movido a paixões e tem espaço no coração para cada uma delas: a família, a arquitetura e o Flamengo. Ah, o Flamengo!

Maracanã, 6 de fevereiro de 1990. É a despedida de Zico, o maior ídolo da história do Flamengo. Aos 43 minutos do segundo tempo, ele deixa o campo pela última vez. Mais de 95 mil torcedores balançam seus lenços brancos em despedida. Entre eles, um menino de 14 anos e olhos verdes curiosos. É Leonardo Henrique Dantas.

É provável que Léo seja mais flamenguista que carioca. Ele mesmo diz isso. É que certas paixões ficam para sempre no coração, mesmo à distância, e outras vão sendo substituídas aos poucos. Desde que veio para Joinville com a família, em 1981, Léo foi pegando gosto pela nova casa. Passadas quase quatro décadas, é natural que ele se sinta muito mais catarinense que qualquer outra coisa. Tem esposa daqui, filho daqui e, principalmente, uma carreira toda desenhada em Santa Catarina, da formação em arquitetura pela Univali até a consolidação como um dos mais respeitados profissionais do estado.

POR TRÁS DA HISTÓRIA

Recém saído da faculdade, em 2006, Leonardo começou a projetar edifícios, e foi assim que ganhou cancha no ramo. No mesmo ano, fundou com o amigoe também arquiteto Nedilo Xavier Pinheiro Jr. o Dantas Arquitetura. Aos poucos, os projetos de interiores foram tomando mais tempo e atenção que os de edifícios, a ponto de hoje serem o carro-chefe do escritório. Nesses trabalhos, é nítida a preocupação com a integração, a fluidez e a funcionalidade dos ambientes. São conceitos que parecem estar com o arquiteto desde sempre, ao lado de outros muito importantes, bem mais filosóficos.

0 carro-chefe do escritório são projetos de interiores, mas o portfólio é reconhecido também por propostas arquitetônicas de alto padrão (Foto: Ronald T. Pimentel/Revista SuaCASA)

Leonardo Dantas tem um propósito de vida definido: ele quer inspirar pessoas a viver melhor. O jeito dele de fazer isso é se dedicando à elaboração de ambientes que gerem prazer e conforto. E que principalmente se encaixem no estilo de vida dos proprietários: “Eu consigo aplicar isso tanto com os meus clientes como com meus colaboradores na empresa. É uma coisa que você vive. Não é uma coisa que você escreve e depois segue só porque tá escrito”.

Natural do Rio de Janeiro, o arquiteto escolheu Joinville para abrir seu escritório, onde atua desde 2006 (Foto: Ronald T. Pimentel/Revista SuaCASA)

Mas o arquiteto precisava jogar também em outros campos. Foi assim que, no meio do caminho da carreira, resolveu virar professor. Foram quatro anos dividindo o tempo no escritório com o de sala de aula, principalmente com as disciplinas de Projeto Arquitetônico, a espinha dorsal de um curso de arquitetura: “A vocação do professor é formar pessoas, independente da disciplina que ele dá. E eu acho que consegui contribuir com a maioria dos meus alunos”.

Última pergunta: Léo, todo carioca é gente boa? Resposta: “Acho que sim, mas para ter certeza tem que ser flamenguista!”. Dá para perceber que, a exemplo do ídolo Zico, Leonardo Henrique Dantas aprendeu a arquitetar grandes coisas. Grandes ambientes e grandes respostas.

Publicações Relacionadas