Últimas Novidades

22 out 2020

PROJETOS

O novo morar
Os ambientes são integrados, amplos e têm funções bem delimitadas, apesar da ausência de barreiras físicas. O forro em gesso em pontos específicos da planta ajuda a demarcar sutilmente as áreas. Outras soluções foram o revestimento e as cores das superfícies, que diferenciam visualmente os espaços. (Fábio Jr. Severo/divulgação)
PROJETOS

O novo morar

Com estética minimalista, layout integrado e elementos estrategicamente posicionados para uso instintivo e funcional dos ambientes, este estúdio apresenta uma forma contemporânea de habitar os espaços.

Os ambientes são integrados, amplos e têm funções bem delimitadas, apesar da ausência de barreiras físicas. O forro em gesso em pontos específicos da planta ajuda a demarcar sutilmente as áreas. Outras soluções foram o revestimento e as cores das superfícies, que diferenciam visualmente os espaços.
(Fábio Jr. Severo/divulgação)

A liberdade criativa foi a essência para a concepção do projeto de interiores para este apartamento de 73m² – um estúdio modelo que materializa todo o potencial dos espaços. Antes de projetar os ambientes, o arquiteto Gabriel Bordin, que assina a proposta, criou as personas que habitariam o local: um casal jovem que curte receber os amigos e passa boa parte do tempo em home office. A inspiração veio dos membros da equipe, que exploraram traços das suas próprias personalidades para a definição dos possíveis moradores.

(Fábio Jr. Severo/divulgação)

A proposta vai ao encontro de estética minimalista, que, para além de modismos, proporciona funcionalidade sem dispensar afetividade, conforto e identidade no décor. Os objetos decorativos e a mobília foram escolhidos minuciosamente, com ênfase para características como qualidade, durabilidade, história e significado. Junto a esse conceito, o projeto priorizou a integração e a flexibilidade, maximizando a iluminação e a ventilação natural.

As mudanças de layout se resumiram à extensão da parede no acesso do apartamento, criando um pequeno hall de entrada. A parede da lavanderia também foi prolongada para que o setor de serviço da casa ficasse oculto na área social, mesmo que aberto.

PONTOS-CHAVE

A divisão de funções entre estar e cozinha é delineada por barreira visual. A área de preparação de refeições participa discretamente da sala ao compartilhar a cor cinza chumbo. No ambiente, o contraste separa as funções ao mesmo tempo em que enfatiza o espaço social com abundância de luminosidade natural.

(Fábio Jr. Severo/divulgação)

Ao se destacar da parede de fundo, a cozinha se abriga em um carro-bar. Levar a cocção para o elemento quase decorativo foi o recurso para não criar móveis embutidos nas áreas centrais. A estrutura mista em serralheria, marcenaria e Granito São Gabriel escovado também contempla um bar em sua extensão.

(Fábio Jr. Severo/divulgação)

O estar opta por uma mobília solta em linhas curvas e com aspecto mais lúdico na intenção de quebrar a linearidade. O ponto focal da área social está na obra “Manta Abstrata Vermelha” enquadrada, criação do Estúdio DaDa. A partir do quadro, nasce a sala de estar com o sofá curvo em off-white, que se abre sobre o tapete redondo. No canto oposto está a poltrona Womb em verde floresta, tonalidade presente na manta, que empresta suas cores a peças de destaque na composição.

(Fábio Jr. Severo/divulgação)

O escritório optou por explorar a planta livre do estúdio, estabelecendo poucas barreiras físicas na separação de ambientes. A área social e a íntima vivem em relação de simbiose, característica evidenciada em dois pontos. O primeiro é a grande mesa flutuante em Mármore Matarazzo, que serve ao jantar e ao home office. Ao eliminar a necessidade de dois móveis distintos, a peça enfatiza o senso de integração e unidade do estúdio. Seu desenho leve respeita as características dos ambientes e suas funções específicas.

(Fábio Jr. Severo/divulgação)

A porta, que eventualmente separa o setor social do íntimo, se molda ao desenho da mesa, isolando o quarto e o home office, quando os usuários demandam privacidade. Os volumes que dividem o espaço são pilares e, através do acabamento em cimento queimado, têm seu aspecto estrutural conservado. O segundo ponto é o móvel que recebe a TV. Quando a porta de correr está totalmente aberta, o aparelho é sustentado por um braço articulável e rotacional.

(Fábio Jr. Severo/divulgação)

DESTAQUES

1. A parede do quarto é revestida em tijoletas alinhadas verticalmente e pintadas de branco. A superfície torna-se protagonista por sua textura, luz, sombra e geometria. A decoração pontual sobre a mesa de cabeceira – xilogravuras do artista Fabio Dudas e um pendente – respeitam a imponência da parede.

(Fábio Jr. Severo/divulgação)

2. O closet é funcional, minimalista e iluminado. O tampo da bancada oculta o espelho da penteadeira.

(Fábio Jr. Severo/divulgação)

3. O espelho horizontal atrás da mesa de jantar confere amplitude visual e reflete a luz vinda das grandes aberturas em vidro. Os pendentes ovais em vidro leitoso flutuam sobre o móvel também flutuante. As cadeiras Standard, desenhadas por Jean Prouve, pontuam de forma descontraída o jantar contemporâneo.

(Fábio Jr. Severo/divulgação)

4. O contraste entre a simplicidade da tijoleta e materiais como o mármore equilibra a proposta em um efeito hi-lo.

(Fábio Jr. Severo/divulgação)

Publicações Relacionadas