Últimas Novidades

02 dez 2021

Destaques

Destaques

Onde mora a poesia, por Casa Sobrado

A leveza visual é originada da união entre a brutalidade e o minimalismo neste projeto esteticamente equilibrado e profundamente sensível, assinado pela dupla da Casa Sobrado Arquitetura + Interiores.

Sensibilidade. Estudo. Paixão. Aliar revestimentos brutos — como pedras, rochas e madeiras — às linhas mais suaves de um móvel, uma decoração ou um projeto de marcenaria é uma habilidade que surge da combinação entre técnica e talento. Com a mesma delicadeza que um artista esculpe a pedra mais preciosa, o arquiteto Michel Hüning e o designer de interiores Jean Lorenzett, da Casa Sobrado Arquitetura + Interiores, projetaram uma residência complexa pelos materiais escolhidos, totalmente comunicativa e equilibrada ao todo.

Os rasgos na arquitetura têm a missão de integrar a natureza aos espaços de convivência. No pub, os profissionais garimparam tijolos maciços de casas centenárias e os compuseram com luminárias projetadas exclusivamente para o ambiente. Foto: Fábio Jr. Severo

O projeto de 600 metros quadrados está localizado em uma área à parte da cidade de Chapecó. Nada mais justo, então, do que a vegetação adentrar os espaços internos. Por isso, rasgos nas paredes foram criados e grandes panos de vidros foram adicionados para que a natureza pertencesse ao cotidiano do casal e suas duas filhas, de 13 e 16 anos.

Foto: Fábio Jr. Severo

Revestindo grande parte do lar, os painéis de madeira de carvalho italiano formam um cenário sereno, assim como os móveis de design assinado e as decorações resgatadas do acervo dos clientes. Na área social, o painel da TV foi construído em pedra bruta. O transporte e a inserção desse elemento foi o ponto mais desafiador do processo: facetadas, as pedras foram compostas com um bloco de pedra, originando a lareira, e com vidro temperado que integra o jardim de inverno, onde a poltrona reclinável Revive, da Natuzzi, imprime a potência da curadoria dos profissionais com um desenho pensado para os movimentos do corpo.

Foto: Fábio Jr. Severo

Enaltecida pela imponência das pedras naturais, a área social compôs diferentes elementos para um resultado contemporâneo, intuitivo e harmônico. Além do painel de carvalho italiano personalizado, uma estrutura de aço deu vida às prateleiras de um centímetro de espessura para abrigar as memórias da família.

Foto: Fábio Jr. Severo

Na entrada da residência, a escada recebe os moradores com degraus plissados em Mármore Travertino Romano Navona e obras de arte da Nara Ota — e o banco Blade, de Jader Almeida, costura a proposta com atemporalidade.

Foto: Fábio Jr. Severo

A aptidão do duo da Casa Sobrado de unir diferentes materiais com excelência está por todos os detalhes do projeto — que coincidiu com o estilo do escritório, amante dos elementos naturais. No centro da sala, três mesas com diferentes faces da madeira foram incorporadas: a primeira com madeira totalmente bruta; a segunda de madeira de cerejeira e canela; e, para arrematar, uma mesa de lâmina de nogueira tratada.

Foto: Fábio Jr. Severo

PONTOS-CHAVE

• Os profissionais não deixaram o design brasileiro de lado: diversos itens assinados integram a proposta feito poesia. A poltrona Bloom, de Emerson Borges, possui um desenho ondular assertivo. Já as poltronas Celine, de Jader Almeida, estão mais para obras de arte graças ao modelo trabalhado em impressão 3D.

Foto: Fábio Jr. Severo

• Outro detalhe da movelaria é a unicidade: as cores dos móveis foram desenvolvidas especificamente para o projeto. As Celine, por exemplo, foram produzidas em branco pela primeira vez a pedido do escritório, nunca antes disponibilizadas com essas roupagens. O sofá em tom caramelo, da Natuzzi, também é uma exclusividade.

• Como a casa é situada em meio a bosques com vegetação nativa, os vidros fortalecem a iluminação natural, a ventilação e a contemplação da paisagem.

Foto: Fábio Jr. Severo

No planejamento dos ambientes, as tonalidades de branco foram distribuídas em meio ao amadeirado para que a comunicação estética permanecesse ímpar. Na sala de jantar, a família irá desfrutar da leveza das cadeiras Ella e Dinna — ambas com desenho esbelto e curvas que refletem aconchego.

Foto: Fábio Jr. Severo

Jader Almeida também assina a mesa Dinn, caracterizada pela forma minimalista de expressar a sofisticação. Arrematando, a luminária em folhas é um garimpo diretamente de Salvador.

Foto: Fábio Jr. Severo

Durante o projeto, a alvenaria foi modificada para atender aos pedidos por espaços integrados e bem definidos, resultando em uma cozinha e espaço gourmet em formato de L. As banquetas Bossa e Joy foram escolhidas para a área que possui um grande volume de inox escovado para abrigar a churrasqueira americana e outros itens.

Foto: Fábio Jr. Severo

Os revestimentos também são protagonistas: a união do mármore cinza com o branco formou um par autêntico para as superfícies, paredes e demais acabamentos.

Foto: Fábio Jr. Severo

Remetendo a bares europeus, o hall do pub transmite a sensação de se estar do lado externo, com vasos cerâmicos naturais e plantas. Na parede, o ano que o casal se conheceu e o sobrenome da família foram estampados, um detalhe que compõe com a bicicleta da década de 1940. A porta foi trabalhada acusticamente com vidros duplos e madeira maciça.

Foto: Fábio Jr. Severo

A lâmina de carvalho italiano é um elemento integrador da área social, estendendo-se à cozinha e ao espaço gourmet. Uma cristaleira foi projetada especialmente para os chás e cafés da manhã da família, emoldurada por prateleiras chanfradas metálicas.

Foto: Fábio Jr. Severo

Os eletrodomésticos em branco se incluem na estética serena: foram escolhidos a dedo para arrematar a composição.

Foto: Fábio Jr. Severo

Uma das tônicas do projeto são os acabamentos, que foram pensados com atenção para que todo o visual se complementasse — os puxadores em gold fosco e o restante da serralheria comprovam isso. Luminárias que flutuam, cubas funcionais, fruteiras verticais e rigor de detalhes são vistos no espaço.

Foto: Fábio Jr. Severo

Fugindo da neutralidade, a suíte master foi composta em verde profundo para transmitir tranquilidade e criar um refúgio para o casal. Nas três suítes da casa foram projetadas bay windows, que valorizam a vista panorâmica de Chapecó, emoldurando-a com o trabalho de marcenaria. A iluminação também foi pensada para proporcionar aconchego, com luminárias posicionadas estrategicamente.

Foto: Fábio Jr. Severo

Em plena sintonia, a marcenaria em madeira lavada resgata simplicidade, enquanto a cabeceira em couro desenhada pelo escritório abraça os moradores no seu refúgio particular.

Foto: Fábio Jr. Severo

As cores complementares guiam a composição desta suíte, que recebeu o rosa lavado, o cinza, o pessêgo e a madeira desgastada. Aqui, os acabamentos arredondados conversam entre si no mobiliário desenhado pelo escritório, como nas mesas de cabeceiras e na escrivaninha.

Foto: Fábio Jr. Severo

O papel de parede quadriculado é somado à cabeceira arredondada e à marcenaria ripada para desenvolver um cenário autêntico. O piso em escama de peixe, a poltrona e a cadeira de estudos colorida estão entre os destaques.

Foto: Fábio Jr. Severo

Na suíte juvenil, os tons de off-white e cinza foram mesclados para a sobriedade prevalecer, enquanto o papel de parede traz contemporaneidade para os acabamentos minimalistas do espaço. A serralheria possui acabamento em inox maciço e pintura gold.

Foto: Fábio Jr. Severo

Para desfrutar de leituras no final da tarde, a bay window: um xodó com marcenaria desenhada em lâmina de carvalho italiano — fazendo conexão com a linguagem predominantemente moderna.

Foto: Fábio Jr. Severo

DETALHANDO

1. No bar, a adega possui temperatura subterrânea, ideal para a climatização dos rótulos. O ambiente conta com uma paleta mais escura e ousada, que imprime descontração.

Foto: Fábio Jr. Severo

2. As atenções foram redobradas no bar, já que havia a necessidade de pensar no conforto acústico do espaço. Por isso, o palco recebeu painéis de muxarabi e outros revestimentos para a não reverberação do som.

Foto: Fábio Jr. Severo

3. As obras de arte da Nara Ota foram distribuídas para transmitir a essência e a personalidade da família. A bailaria remete às filhas do casal em um desenho rico em detalhes.

Foto: Fábio Jr. Severo

Veja outros ângulos do projeto assinado pelo escritório Casa Sobrado:

Foto: Fábio Jr. Severo
Foto: Fábio Jr. Severo
Foto: Fábio Jr. Severo
Foto: Fábio Jr. Severo
Foto: Fábio Jr. Severo
Foto: Fábio Jr. Severo
Foto: Fábio Jr. Severo
Foto: Fábio Jr. Severo

Publicações Relacionadas