Últimas Novidades

08 mar 2021

DECORAÇÃO

Refúgio praiano: em busca do lugar de paz
A charmosa piscina faz jus à área gourmet planejada para confraternizar com a família e receber os amigos na casa de praia. Foto: Mariana Boro
DECORAÇÃO

Refúgio praiano: em busca do lugar de paz

Um verdadeiro refúgio praiano deve honrar sua essência e valorizar a simplicidade. Elementos alternativos são destaques na composição de uma casa de praia.

Foto: Fabio Jr Severo

Mar doce lar. Não é por acaso que essa expressão clichê se apropria de um dos adjetivos mais afáveis da língua portuguesa para caracterizar e ressignificar. Doce porque tranquiliza, acalenta e acalma, assim como o mar e o próprio lar que, juntos, tornam-se um verdadeiro lugar de paz. A ideia de praia, inevitavelmente, nos leva a sentimentos e sensações de leveza como se fosse uma espécie de refúgio e ponto de equilíbrio. Nesse caso, que tal uma estrutura física construída com essa finalidade e que possamos chamar de nossa? Nossa por direito, porque foi feita do nosso jeitinho e porque é a nossa casa de praia.

O terraço com vista para uma das praias mais reservadas do Sul da Ilha busca reproduzir e respeitar os elementos da paisagem pelas mãos do arquiteto Gabriel Bordin, com o uso de revestimentos naturais, como a madeira cumaru, e um décor despretensioso entre céu e mar. Foto: Fabio Jr Severo

Dito isso, se o externo pacifica, o interno também precisa jogar a favor, ou seja, o projeto de um imóvel praiano exige que se pense uma composição nesse mesmo sentido, a partir de um conjunto de elementos que possa de fato proporcionar uma experiência natural. O desafio está em saber conciliar cores, texturas e móveis de maneira que cada ambiente também seja capaz de acolher e aconchegar com a mesma leveza pela qual a natureza nos recebe quando buscamos essa conexão.

Itens de acervo dos clientes, como as esculturas, foram incorporados no projeto, levando personalidade aos ambientes. Foto: Mariana Boro

A proposta cumprirá sua função se oferecer um convite ao relaxamento. Para Marcelo Salum, a junção sintonizada de elementos estratégicos imprime a tranquilidade almejada em cada cenário arquitetado.

Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro
A vegetação externa se mistura à ampla varanda com base neutra e clara no projeto  arquitetônico de Marcia Barbieri. Foto: Mariana Boro
A vegetação externa se mistura à ampla varanda com base neutra e clara no projeto arquitetônico de Marcia Barbieri. Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro

Aqui, o ser despojado ganha protagonismo: o requinte e a sofisticação cedem lugar à casualidade e à informalidade, sem perder o toque elegante. Por ser um local propício à recepção de visitas, é importante que haja um olhar crítico e cuidadoso na escolha dos materiais que precisam ser leves e fáceis de limpar por causa da umidade.

A charmosa piscina faz jus à área gourmet planejada para confraternizar com a família e receber os amigos na casa de praia. Foto: Mariana Boro

Quando falamos em constituir uma área externa, apostar em tecidos mais sintéticos é uma boa solução em se tratando de maior durabilidade – destaque para elementos naturais, que tendem a ser mais convenientes nesse sentido. Materiais como a palha, o bambu e os linhos são essenciais na composição de um imóvel praiano, uma vez que transmitem a prometida sensação de leveza e bem-estar. Seja para momentos coletivos na presença de bons amigos ou situações mais reservadas entre os próprios membros da família, a casa precisa transmitir aquilo a que se propõe.

Foto: Mariana Boro

E por mais que soe clichê, o azul sempre cai bem em ambientes como este. O clássico bic e o Tiffany dominam a paleta na parceria do laranja, proporcionando o clima total verão em mais um espaço da casa. Tons que alegram, mas que também são perfeitamente capazes de relaxar – ou talvez relaxem justamente porque alegram – e que estão presentes em ambientes propriamente criados com esse intuito. Almofadas e day bed também auxiliam no cumprimento da missão: compor para confortar!

Uma das diretrizes do projeto foi a valorização da área externa por meio de um novo paisagismo, com área de contemplação e uma jacuzzi em composição com as poltronas Pão de Açúcar da Tidelli, por Manuel Bandeira. Foto: Ronald T. Pimentel

E se há algo que deve imperar no ato de decorar uma casa ou um apartamento é a criatividade. A característica foi fortemente aplicada nesta casa de praia em Itapirubá, no litoral sul. O projeto da arquiteta Ana Barbieri apostou em materiais com conforto extremo através do Pufe Soft, da Chaise Escuna e da Mesa Marina – peças da Tidelli, que levam cores e vida ao espaço.

Os ambientes estão muito conectados e em total harmonia, sendo o living a área mais utilizada pelos proprietários para receber a família e relaxar. Foto: Ronald T. Pimentel

A boa sacada é valorizar as memórias da família a partir dos elementos escolhidos, revelando uma arquitetura afetiva em cada canto. Investir em tons claros também é uma ótima estratégia na manutenção do conforto térmico: frescor e luz natural são imprescindíveis.

Foto: Ronald T. Pimentel
Foto: Ronald T. Pimentel
A cor coral e o verde também se destacam em alguns pontos do décor juntamente com a madeira natural, que não poderia faltar em se tratando de uma casa de praia. Foto: Ronald T. Pimentel
A cor coral e o verde também se destacam em alguns pontos do décor juntamente com a madeira natural, que não poderia faltar em se tratando de uma casa de praia. Foto: Ronald T. Pimentel

A arquiteta Ana Cláudia Barbieri concebeu uma proposta que é uma grande orquestra em perfeita sintonia, onde cada detalhe, por menor que seja, tem importante papel a cumprir. Lustres, mesas e poltronas com design sóbrio combinam simplicidade e praticidade, sem economizar charme. O verde no layout interno também se faz necessário, afinal, natureza é sinônimo de conexão.

Uma casa em meio ao verde, aberta para o vento, com os raios de sol e a brisa da Lagoa da Conceição no entorno, onde só é possível acessar por trilha ou pelo mar. Foto: Mariana Boro

Natureza é o que este projeto tem de sobra! Dessa vez, quem não poupou criatividade foi a arquiteta Ana Granzoto nesta casa de praia que tem cara, cor e jeito de refúgio. A madeira natural junto à vegetação causa uma atmosfera singular para quem busca sossego no próprio lar.

Cada ambiente remete à essência dos elementos, já que a escolha foi a de revitalizar somente as madeiras dos tetos, chão e peças estruturais. Foto: Mariana Boro

Liberdade também na seleção de cores, o famoso sem medo de ser feliz ganhou espaço na casa. No mobiliário solto, destaque para os tons azuis e elementos naturais como o uso da corda e da palha garantindo o despojamento desejado pelos clientes.

Poucos móveis oxigenam o layout leve pensado para o descanso da família, um casal com duas filhas adolescentes. Foto: Mariana Boro

Além disso, a proposta era arquitetar sem grandes intervenções, mantendo a originalidade especialmente das estruturas em madeira, aplicando pintura em pontos estratégicos. Feito! Portas e janelas em azul Blue Chip criaram o contraste harmônico, suavizando ainda mais a composição.

O projeto focou em praticidade, funcionalidade e simplicidade como características básicas para uma casa de veraneio, onde o objetivo é curtir bons momentos com segurança e leveza. Foto: Mariana Boro
O projeto focou em praticidade, funcionalidade e simplicidade como características básicas para uma casa de veraneio, onde o objetivo é curtir bons momentos com segurança e leveza. Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro
Foto: Mariana Boro

O desejo era ter um espaço para deitar no chão e acalmar o coração. Se não para isso, para que serve uma casa de praia? Por isso, cada elemento funciona como parte da engrenagem e, nesse caso, o menos vale por muito mais. Espaços bem arejados e transparentes dispensam cortinas para que a iluminação natural possa invadir cada ambiente. Em um projeto repleto de liberdade poética, a arquiteta Ana Grazoto entrega mais um paraíso chamado doce lar.

Foto: Mariana Boro

E, mais uma vez, Marcelo Salum deixa claro que a criatividade precisa rolar solta na hora de conceber um lugar que seja verdadeiramente convidativo, digno de uma casa de praia. Em mais um projeto assinado pelo arquiteto, esta residência em Florianópolis explora um visual exuberante.

Em uma proposta com jeito de oásis praiano, Marcelo Salum garante um mix certeiro a partir de diferentes elementos como o uso de estampas e da própria madeira em boa parte dos espaços, que
mantém seu aspecto quase natural, imprimindo a ideia de uma essência leve e original. Foto: Mariana Boro

Além da proprietária e a filha de sete anos, convidados também são sempre bem-vindos e, portanto, a proposta foi a de criar uma composição que pudesse exalar aconchego em cada cantinho da parte interna e externa. Em 322m², Salum consegue harmonizar uma série de materiais, texturas e cores em ambientes únicos, vivos e integrados.

Assim como os ambientes internos, a área externa da casa é o convite perfeito para curtir os dias de sol ao ar livre, curtindo a solitude ou em boa companhia. O critério da integração também tomou conta do espaço: três ambientes se integram com a varanda que fica de frente para a piscina e uma área anexa, com uma suíte de hóspedes e estrutura para atividades físicas. Foto: Mariana Boro

Aqui, o projeto arquitetônico criado por Cristina Lebarbenchon arranca suspiros pela vivacidade da parte externa que, por si só, transmite elegância e aconchego para eventuais recepções. A arquitetura que abriga espaço com piscina, academia e quarto de hóspedes é um convite à contemplação e teve como destaque a junção de memórias afetivas da cliente ao senso estético do escritório em uma proposta que dialoga com o décor elaborado pelo arquiteto Marcelo Salum. O resultado: ambientes integrados para receber os amigos e familiares, com a luz e o frescor proporcionados pela brisa do mar.

Cores que simbolizam a natureza, ambientes integrados e mobília com estética que equilibra requinte e conforto marcam os ambientes desta casa que pode, tranquilamente, receber o apelido carinhoso de belo refúgio. Foto: Mariana Boro

De modo geral, o design de Marcelo Salum se atribui respeitosamente das cores da natureza, garantindo a leveza e a sutileza desejadas pela proprietária – características marcantes na concepção de um projeto praiano.

Cores e luz natural: boas ideais e elementos estratégicos na hora de compor ambientes. Foto: Mariana Boro

A iluminação natural se faz generosa em toda a casa, já que os ambientes foram construídos com portas e janelas bem espaçadas. Uma das estratégias que realçou o espaço foi a utilização de brises em alguns pontos da fachada. Nos panos de vidro foram utilizadas persianas rolô com filtro solar, ideal para casas bem arejadas com grandes aberturas.

Foto: Mariana Boro

A casa não deixa dúvidas de que Marcelo Salum usa da diversidade de objetos reunidos como a tônica de seus projetos. A mistura de elementos, cores e texturas tem um resultado harmônico e chancela personalidade à decoração.

A proximidade com o mar e o pedido especial de um tom verde claro foram o norte para a elaboração do projeto. Foto: Mariana Boro

Neste caso, características que se comprovam na sala de estar, na cozinha e até na própria brinquedoteca marcadas pela versatilidade. O tom do verde predomina a sala de estar com uma sofisticada composição de cores e estampas escolhidas a dedo. Na cozinha, as paredes ganharam o tom chumbo; as áreas privativas, tons de azul.

Publicações Relacionadas