Últimas Novidades

20 set 2021

DECORAÇÃO

Áreas externas: um refúgio no meu lar
Peças que flutuam, como cadeiras suspensas e balanços, exalam a leveza da natureza em ambientes externos, além de serem modelos diferenciados. Foto: Kacio Lira
DECORAÇÃO

Áreas externas: um refúgio no meu lar

Seja para relaxar ou confraternizar, apostar em áreas externas tem sido estratégia especial de quem busca espaços de descontração e descanso.

Uma área externa agradável depende de uma série de fatores, mas focar em materiais de boa qualidade e alta durabilidade deve estar entre as prioridades, como mostra o projeto assinado pelo Maraú Design Studio. Foto: Marcelo Donadussi

Acordar, levantar da cama e ir até um lugar ao ar livre onde seja possível contemplar e sentir-se bem junto à natureza. Ou até mesmo chegar em casa cansado de um dia cheio de trabalho e querer apenas relaxar em um canto apropriado. As duas opções, entre tantas outras, são funções propostas por uma boa e bem planejada área externa de uma residência. Transformar esse espaço em um lugar de relaxamento e convivência com personalidade e sofisticação tem deixado cada vez mais as pessoas interessadas em investir nesses ambientes. E na hora da composição há certos fatores a serem levados em consideração. Seja para ficar horas lendo um bom livro ou para confraternizar com os amigos e reunir os familiares, uma área externa precisa reunir beleza, conforto e praticidade. O mobiliário externo deve ser explorado a fim de que se cumpra o desafio de criar uma atmosfera natural e convidativa, para ocasiões de lazer ou momentos de descanso e tranquilidade.

Peças que flutuam, como cadeiras suspensas e balanços, exalam a leveza da natureza em ambientes externos, além de serem modelos diferenciados. Foto: Kacio Lira

Um lugar confortável, digno de bons momentos de lazer ou de serenidade. Ter uma área externa verdadeiramente convidativa é um privilégio. No entanto, trazer à tona essa atmosfera, tão almejada nesse tipo de espaço, depende de uma série de elementos em que a escolha da mobília é ponto determinante na composição. Para a arquiteta Ana Wolf, o conforto está acima de tudo, já que a finalidade principal é relaxar. Ambientes com design rústico chique, onde móveis despojados ganham destaque na composição, são boas estratégias na junção de modernidade e bem-estar nessa importante parte da casa.

Mobiliários de corda náutica ou de madeira possuem alta durabilidade. Por isso, são elementos ideais na hora da composição. Foto: Marcelo Stammer

Além da busca pelo design ideal, que orne com o restante dos elementos escolhidos para a casa, comodidade é indispensável. A área externa de Alessandra Gandolfi explora o verde e assinala o conforto no piso atérmico Apolo, da Palazzo, que facilita a circulação em dias de calor.

Foto: Marcelo Stammer

SENSAÇÃO DE ACOLHIMENTO

Na piscina ou sentado próximo à natureza, o espaço permite momentos de relaxamento e pausas para recarregar as energias. O verde da parede viva garante o ar de hospitalidade nessa área livre da casa.

As poltronas Pão de Açúcar (Tidelli) compõem a mobília e, com suas formas e cores vibrantes, tornam-se objetos de decoração, contrastando com o verde natural. Foto: Deehouse

ESPAÇOS INTEGRADOS

Ainda que seja uma extensão da casa, a área externa precisa ser arquitetada como parte do todo, junto aos outros ambientes. No projeto concebido pelo Maraú Design Studio, o grande vão permite a integração total da parte interna com a de fora.

Foto: Deehouse

A integração completa envolve espaço gourmet, piscina e acesso livre à parte interna da casa no projeto do Maraú Design Studio, promovendo maior e mais fácil interação entre convidados e moradores.

Foto: Deehouse

O entorno e o próprio cenário em que área externa vai integrar na casa não só importam, como também influenciam e muito na escolha do estilo de mobiliário. Em relação às cores, a harmonia entre paleta e estampas utilizadas deve ser levada em conta na seleção das peças. Nos trabalhos assinados pelo Kogika Estúdio, olhares atentos às condições climáticas: materiais sintéticos costumam ser mais utilizados por conta da alta resistência. É necessário que os móveis sejam pensados para todo o tipo de situação, como sol intenso, chuva, vento e umidade.

A escolha do mobiliário deve estar em harmonia com o ambiente onde está inserido, mantendo cautela na mistura de materiais, cores e texturas. Foto: Kacio Lira

SELECIONANDO ELEMENTOS

Cuidado na escolha dos materiais é premissa nas criações do escritório Mauricio Christen Interiores. Boas marcas, design despojado e sofisticado, além da tecnologia aliada aos itens selecionados, garantem o sucesso da proposta e a tranquilidade do cliente.

Foto: Fábio Jr. Severo
O espaço gourmet recebeu uma bancada construída em granito Taj Mahal, que previne de exposição constante aos raios solares. Foto: Fábio Jr. Severo

Além da boa aparência, a composição de uma área externa deve imprimir sensação de equilíbrio no dia a dia de quem vai usufruir do espaço. Criar uma ambientação acolhedora, apostar no verde das plantas e usar a iluminação correta são estratégias ideais para atingir a essência almejada pelos clientes. Nos trabalhos idealizados pela Due Arquitetura, o mobiliário é pensado de acordo com os gostos de cada morador e com o espaço em que a área externa está sendo projetada. Ambientes com varandas, pergolados e brises estão entre os mais pedidos pela praticidade em dias de chuva. A escolha de produtos que utilizem materiais duráveis, de fácil manutenção, e que possam ser usufruídos de maneira aconchegante em todas as condições também são fundamentais.

Pés na água, mente leve: o design despojado dos móveis reforça a vibração que estar ao ar livre proporciona, como o balanço Puã, suspenso e irreverente. Foto: Kacio Lira

É na área externa onde buscamos bons momentos regados a muito conforto e despreocupação. Afinal, são nesses espaços que geralmente recebemos os amigos e familiares para lazer junto à piscina ou nas práticas varandas. Para fazer valer a proposta, as arquitetas Sibele Ristow Wodzinsky, Bárbara Voltolini e Camila Laís Gruber, do SRW Arquitetura, preferem apostar em elementos especiais na composição. Balanços são peças atuais e sempre bem-vindas. Sofás, chaise ou conjunto de mesas e cadeiras protegidos pelos ombrelones também cumprem a função de convite ao relaxamento.

A Chaise Moon Corda rouba a cena pelo conforto e pelo estilo, que fazem do design da peça um exemplo de móvel para área externa. Foto: Kacio Lira

Assim como a parte interna, a área externa do imóvel deve ter uma boa decoração, com belo design, qualidade, além de peças com excelente durabilidade. De um modo geral, os ambientes precisam seguir uma unidade de estilo, de modo que esse espaço de descanso e lazer esteja integrado aos demais cômodos da casa. A designer de interiores Cláudia Bezerra, do escritório Objeto 22, mira em peças modernas, sofisticadas e com detalhes únicos, sempre priorizando o conforto – característica fundamental na execução de projetos. Optar por móveis duradouros e de boa qualidade também é importante para a manutenção e preservação destes elementos, em razão das possíveis mudanças climáticas.

A escolha dos materiais para o mobiliário deve ser criteriosa. Fibras sintéticas e a corda náutica de boa qualidade são ótimas opções, como a lumiária da Tidelli. Foto: Kacio Lira

Com ar simultâneo de lazer e descanso, uma área externa bem planejada deve cumprir o papel de receber bem os usuários, fazendo com que sempre sintam-se à vontade ao estar ali. Características como a estética e a comodidade são importantes mas não são as únicas relevantes na composição. Aliado a esses pontos, é preciso estar atento à escolha minuciosa dos materiais, procurando optar sempre por itens mais resistentes e tecidos impermeáveis. Os projetos de área externa criado pelo Studio Delai Arquitetos geralmente recebem coberturas retráteis que permitem liberdade de uso. A escolha é do cliente: teto livre com céu limpo ou teto fechado para dias de chuva. Além disso, planejar o espaço de acordo com a orientação solar também é tarefa importante.

Foto: Kacio Lira

Generosa no tamanho e no conforto, a poltrona Moon abraça quem a escolhe. Na cor preta, a peça agrega ousadia a propostas ao ar livre com seu design arrojado.

Foto: Kacio Lira

A atmosfera do ambiente deve ser fluida e aconchegante, seja para usufruir da área externa sozinho, lendo um bom livro, seja para receber amigos em momentos de lazer e diversão. Para isso, a arquiteta Ariela de Pieri, do Linha7 Arquitetura, busca utilizar um estilo de mobiliário que mescla materiais e formas de uso. A exemplo disso, os práticos e despojados pufes que, além de assento, podem servir de mesa, ou ainda os charmosos balanços para relaxar, que também são local onde se forma roda de conversa. O principal ponto é a escolha do material, que precisa ser de qualidade para não desbotar e funcional para facilitar a limpeza.

Foto: Kacio Lira

Para a designer de interiores Patrícia Nascimento, o paisagismo deve ter papel de protagonista na hora de conceber a área externa de uma residência. Nesse caso, tornar claro para o cliente as vantagens e desvantagens de cada tipo de projeto é primordial, uma vez que áreas abertas e fechadas possuem certas especificidades de uso e manutenção. Além disso, o mobiliário precisa ser primeiramente confortável, ideal para relaxar por poucos minutos ou por longas horas. E por se tratar de um espaço onde constantemente deve haver grande circulação de moradores e convidados, selecionar bem os materiais precisa ser prioridade. Itens de alta qualidade, com boa resistência à exposição solar, ao vento e a ambientes fechados são sempre as soluções perfeitas para a preservação de uma área externa. A designer de interiores costuma apostar na utilização de madeira natural, além de tecidos próprios e cores claras para evidenciar o paisagismo.

Destaque para a verticalidade da Poltrona Toscana, que possui um design único, ideal para compor áreas externas carregadas de estilo. Foto: Kacio Lira

A grande proposta dos ambientes externos é criar uma conexão entre as pessoas e a natureza, priorizando o conforto. A partir dessa premissa, o arquiteto Jean Carlos Bonissoni, do Arqinove Arquitetura e Interiores, aposta sempre em peças que propiciem bem-estar ao usuário, mas que também sejam práticas e otimizem bem os espaços. O uso do deck de madeira é uma das opções mais tradicionais e interessantes, pois oferece ao local um ar elegante e harmonioso em conjunto com os demais elementos. Composições com revestimentos de madeira ou pedras naturais também são ótimas estratégias para tirar a aridez dos espaços, deixando-os mais atrativos e aconchegantes, valorizando o mobiliário e o cenário de modo geral. Espaços com pérgolas cobertas, ombrelones ou toldos retráteis também são charmosos e permitem o uso dos espaços externos mesmo em dias de chuva ou de sol em excesso.

Ideal para compor ambientes externos, a Poltrona Ilhabela em tricô da Lovato garante charme e elegância à composição. Foto: Kacio Lira

Organizar, selecionar bem os itens de decoração e caprichar no paisagismo. Cada detalhe importa na hora de criar uma bela área externa onde, sem dúvidas, o mobiliário precisa necessariamente ser confortável. A designer de interiores Ana Paula Benvenutti e a arquiteta Débora Ioná Carvalho retratam de forma bem pontual a sensação a qual uma área externa se propõe emanar: “um lugar que te abraça ou que você fica sentado por horas e não te faz querer ir embora”. Para isso, elas preferem trabalhar com bons fornecedores e marcas de qualidade, garantindo um resultado de sucesso. O estilo precisa respeitar a estética da residência onde a área externa será inserida, de maneira que tudo permaneça em perfeita sintonia. Pelo fato dos móveis ficarem expostos ao sol e chuva, eles merecem uma atenção especial.

Deve-se levar em consideração o cenário onde o ambiente externo será integrado, para que haja uma certa unidade de estilo. Foto: Kacio Lira

O ambiente deve ser projetado para garantir o bem-estar não apenas de quem vive ali todos os dias, mas também dos convidados que devem usufruir do espaço em momentos de descontração dos clientes. Por isso, a proposta precisa prever móveis confortáveis e ergonômicos, já que geralmente são usados por um longo período. Nos trabalhos assinados pela arquiteta Ana Paula Moschetta, a escolha da cor também deve seguir um olhar criterioso: a preferência é por tons e estampas que conversem com o restante da decoração.

Foto: Rudi Razador

Nada como sentar em uma peça confortável e respirar o ar puro do campo. Com tons inspirados na beleza orgânica da natureza, as poltronas Luca Balanço e Cordel são perfeitas para esse reenconto com as raízes.

Foto: Rudi Razador
Foto: Rudi Razador

Nos projetos assinados pelo arquiteto Wallace José Chillemi, da Chillemi Arquitetura, o design não é protagonista, e sim parte de um todo.

Publicações Relacionadas