Últimas Novidades

22 set 2020

PROJETOS

Volta ao mundo
PROJETOS

Volta ao mundo

Um mora no Brasil, outro na Austrália. Muitos quilômetros de distância separam o casal, que encontrou neste apartamento um espaço para voltar às origens, descansar e, o melhor, estar junto. O projeto é atemporal e tem uma mistura muito especial: conta com elementos que lembram viagens marcantes e também referências brasileiras. Tudo isso emoldurado pela vista para o mar.

Mais de 15 mil quilômetros de distância separam o casal proprietário deste apartamento assinado pelo escritório Mariana Pesca Arquitetura, com coordenação do arquiteto Guto Pereira. Um mora em Florianópolis; o outro, na Austrália. Nessa jornada entre dois continentes, os dois puderam conhecer diversas cidades como ponto de encontro para matar a saudade – colecionando aventuras e uma bagagem cultural gigante. Por aqui, o refúgio precisava ter “a cara do Brasil”, com pinceladas das experiências em hotéis, apartamentos e resorts ao redor do mundo.

O grande pedido era um apartamento atemporal, onde eles pudessem relembrar todos os momentos de viagens juntos. A vista para o mar e o relevo saliente ao fundo, como uma verdadeira obra de arte, foi a protagonista de tudo. É como se o apartamento estivesse flutuando sobre o oceano. “Tínhamos nas mãos o melhor dos dois dos mundos, ou melhor, dos dois países: a beleza natural. E foi ela que inspirou as diversas estratégias projetuais que sugerimos”, explica Mariana.

Os objetos de decoração foram escolhidos a dedo um por um. Buscava-se expressar a rusticidade dos elementos naturais de maneira minimalista, com texturas lisas, sóbrias, neutras e transparentes. Vidro, barro, madeira natural, palha e penas mesclam-se com arranjos florais dispostos estrategicamente, em uma proposta que traz a natureza da paisagem externa para dentro de casa.

Em todos esses ambientes, que comportam-se como um só, assim como no restante do projeto, uma das principais exigências dos clientes era de não ter de nenhuma forma iluminação “pendente”. Com isso, o estudo luminotécnico foi estreitamente desenvolvido de maneira distribuir luminárias embutidas nos locais necessários e garantir excelência de luminosidade.

Pontos-chave

• Um grande móvel segue por toda extensão da parede da sala de jantar, servindo como buffet e apoio a esse espaço, e seguindo na sala de estar como suporte para o espaço de TV. Móvel, este, que recebeu o tratamento ripado, estratégia para poder deixar algumas de suas portas vazadas para troca de ar com os aparelhos de ares-condicionados camuflados.
• A marcenaria tem uma estética bucólica e, ao mesmo tempo, contemporânea e atemporal pelo uso da cor cinza. No miolo do painel da sala de jantar, um grande painel de Dekton Opera se destaca, fazendo uma conexão com a cozinha e o hall de entrada.
• Todo o mobiliário solto foi selecionado estrategicamente para compôr um espaço mais amplo, sem interrupções visuais na escala do observador. Assim, sugere-se uma linha com madeiras naturais, como o jequitibá
e o carvalho, de reaproveitamento florestal, palha sextravada e tecidos aconchegantes e sensíveis ao toque, criando uma atmosfera abrasileirada como era o desejo dos clientes.

Da cozinha, os moradores têm vista panorâmica de todo o living, começando na sala de jantar, passando pela pelo estar de TV e dobrando um “L” com um lounge para conversas e trocas interpessoais. O piso de padronagem cacau e castanho contrasta com as cores dos móveis e pedras. Os móveis receberam uma releitura das máscaras almofadadas clássicas, com leves frisos requadrando as portas e gavetas, camuflando, inclusive, a lava-louças. A laca acinzentada conversa com os veios mais escuros da textura marmorizada do Dekton Opera, presente na ilha e na rodabanca da pia. A bancada funcional em corian, com cuba esculpida e tampas deslizantes, torna o espaço ainda mais “discreto” e inserido no contexto de convívio social.

Na suíte master, o casal participou de cada detalhe. “Nela reaproveitamos alguns móveis que eles já tinham, como a cama, as mesas de cabeceiras repaginadas e a cadeira office”, explica Mariana. Para a cabeceira, eles praticamente desenharam com lápis e papel o que queriam, e assim foi feito: um modelo totalmente personalizado ao gosto dos clientes. Para amarrar isso tudo, foram desenvolvidos painéis que estendem-se pela maior parte do quarto; ele camufla a porta dos banheiros e mescla-se com o móvel da parte de home office. Esses móveis receberam a mesma estética do living, com portas ripadas, seguindo a estratégia de camuflar um dos ares condicionados.

O banheiro principal foi todo repaginado, com a proposta de uma “caixa de mármore” com piso e paredes no mesmo acabamento cerâmico. A bancada com cuba dupla foi esculpida em silestone, o mesmo acabamento utilizado no invólucro da banheira e nicho para produtos de higiene e cuidados pessoais. Outra vez, optou-se pelo uso do ripado no móvel para trazer o diálogo do apartamento como um todo, numa simbiose cromática com os perfis dourados propostos como detalhe. Os espelhos superiores, simples e funcionais para não tirar o protagonismo da textura marmorizada, trazem a funcionalidade da iluminação frontal camuflada por trás do espelho, e espaço para guardar acessórios.

Detalhando

1. Os quartos de hóspedes seguiram uma linha mais “clean”, com traços simples, puros e minimalistas. A personalidade está na composição de cores das roupas de cama, versatilidade dos layouts e formas dos móveis planejados.

2. Um dos destaques da sala de jantar fica por conta da Poltrona Circle Chair, do Designer Hans J. Wergner, que expressa em uma peça o que a arquiteta queria trazer para todo o projeto.

3. O bom gosto dos moradores deu o tom parede o lavabo. “Sempre defendemos que somos o instrumento para mostrar ao cliente opções criativas. E no lavabo, o grande protagonista, papel de parede tropical, foi escolhido a dedo por eles”, explica Mariana.

4. No hall, a textura e a cor da madeira nos painéis e portas camufladas, junto ao efeito marmorizado do Dekton Opera no piso, o espelho na parede para ampliar ainda mais o espaço, a presença de vegetação, bem como a iluminação estratégica, trouxeram identidade mesmo para um espaço tão pequeno.

5. Na sala de TV, o elemento visual bastante imponente é o Mapa Mundi, feito através de uma plotagem adesiva texturizada e colada sobre a superfície, que exemplifica exatamente esse lado viajante dos clientes. As cores, não tão óbvias ao que se espera de um mapa mundi, trazem tons quentes, sépios e monocromáticos.

Publicações Relacionadas